quinta-feira, 2 de junho de 2011

Entrevista do Rev. Roberto Brasilieiro, presidente do Supremo Concílio da IPB, fala sobre a Lei da Hemofobia - PL 122




IPB reforça sua posição no programa Verdade e Vida

Rev. Roberto Brasileiro, Presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana participou do Programa Verdade e Vida, respondendo questões sobre a polêmica Lei da Homofobia, conhecida como PL 122, que traz discussões sérias dentro das Igrejas cristãs reformadas.
No Programa, dirigido pelo Presbítero Daniel Sacramento, Rev. Roberto Brasileiro respondeu a algumas perguntas que refletem a preocupação da comunidade presbiteriana, e esclareceu fatores de importância fundamental na defesa da fé cristã e orientação Bíblica.
Já no início do programa, Rev. Roberto declarou que não há sustentação Bíblica, ou mesmo na história da humanidade, para o casamento homossexual. “Deus quando criou o homem, Ele estabeleceu o homem masculino, a mulher feminina, e determinou que deveriam se unir, se tornar uma só carne e a partir daí a raça humana teria seu desenvolvimento natural. À luz das Escrituras Sagradas, a relação homoafetiva é uma relação pecaminosa, porque ela destrói a própria natureza da pessoa, ela elimina a possibilidade da pessoa exercer a vida dentro do princípio criacional estabelecido por Deus”.
Na questão da PL 122, o Presidente do Supremo Concílio da IPB disse que mesmo respeitando as liberdades de escolha, a Igreja não pode aceitar a institucionalização de um ato pecaminoso. “Se aceitarmos, nós estamos dizendo que é possível vir a abençoar, e isso não é possível. Não podemos aceitar porque contraría o princípio bíblico, um principio criacional e um princípio de formação de família. Então, a igreja ficará sempre diante de uma situação de desobediência completa ao Estado, pois, se o Estado tomar essa decisão, a Igreja dirá ‘nós não podemos acatar uma decisão que determine que haja essa união’, porque nós não podemos abençoar essa união”.
Muitos presbiterianos que acessam os canais de comunicação da IPB têm manifestado sua posição no que diz respeito à PL 122. Para Rev. Roberto Brasileiro, essa atitude deve mesmo permanecer, porque cada cidadão cristão tem o direito de defender, civilizadamente, sua fé e princípios.
“A igreja tem que ter a ousadia de pagar o preço de ser Igreja e de cumprir a sua vida ministerial. A IPB adota como sua posição oficial a não aceitação de casamento homoafetivo. Para nós, nenhuma relação homoafetiva pode ser aceita, é um ato pecaminoso, contrário aos princípios bíblicos e doutrinários de nossa Igreja”, defende Rev. Roberto.
Quando questionado sobre o papel do cidadão neste momento, Rev. Roberto conclama os cristão a cobrar de seus canditatos eleitos, um retorno que responda às expectativas da Igreja. “Eu creio que a Igreja deve orar e deve manifestar a sua vontade aos candidatos eleitos pelo voto dos cristãos, seja esse candidato evangélico ou não. Devemos mandar e-mails e devemos mostrar à sociedade a nossa posição e o porquê dessa nossa linha de ação”.
Para o apresentador Daniel Sacramento, a posição da IPB é muito importante para nortear os presbiterianos para que permaneçam em seus princípios. “Nós não negociamos princípios, não negociamos os princípios da palavra de Deus”, conclui.
Manifesto Presbiteriano
Em abril de 2007, Rev. Roberto Brasileiro escreveu uma carta intitulada Manifesto Presbiteriano, em que defendia os princípios da IPB diante da criminalização da homofobia. No Portal IPB é possível encontrar o texto na íntegra (http://www.ipb.org.br/portal/noticias/504-manifesto-presbiteriano-sobre-aborto-e-homofobia), mas a seguir, o leitor terá acesso aos trecho específicos sobre o assunto.
II – Quanto à chamada LEI DA HOMOFOBIA, que parte do princípio que toda manifestação contrária ao homossexualidade é homofóbica, e caracteriza como crime essas manifestações, a Igreja Presbiteriana do Brasil repudia a caracterização da expressão do ensino bíblico sobre o homossexualidade como sendo homofobia, ao mesmo tempo em que repudia qualquer forma de violência contra o ser humano criado à imagem de Deus, o que inclui homossexuais e quaisquer outros cidadãos.
Visto que:
(1) a promulgação da nossa Carta Magna em 1988 já previa direitos e garantias individuais para todos os cidadãos brasileiros;
(2) as medidas legais que surgiram visando beneficiar homossexuais, como o reconhecimento da sua união estável, a adoção por homossexuais, o direito patrimonial e a previsão de benefícios por parte do INSS foram tomadas buscando resolver casos concretos sem, contudo, observar o interesse público, o bem comum e a legislação pátria vigente;
(3) a liberdade religiosa assegura a todo cidadão brasileiro a exposição de sua fé sem a interferência do Estado, sendo a este vedada a interferência nas formas de culto, na subvenção de quaisquer cultos e ainda na própria opção pela inexistência de fé e culto;
(4) a liberdade de expressão, como direito individual e coletivo, corrobora com a mãe das liberdades, a liberdade de consciência, mantendo o Estado eqüidistante das manifestações cúlticas em todas as culturas e expressões religiosas do nosso País;
(5) as Escrituras Sagradas, sobre as quais a Igreja Presbiteriana do Brasil firma suas crenças e práticas, ensinam que Deus criou a humanidade com uma diferenciação sexual (homem e mulher) e com propósitos heterossexuais específicos que envolvem o casamento, a unidade sexual e a procriação; e que Jesus Cristo ratificou esse entendimento ao dizer, “. . . desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher” (Marcos 10.6); e que os apóstolos de Cristo entendiam quea prática homossexual era pecaminosa e contrária aos planos originais de Deus (Romanos 1.24-27; 1Coríntios 6:9-11).
Ante ao exposto, por sua doutrina, regra de fé e prática, a Igreja Presbiteriana do Brasil MANIFESTA-SE contra a aprovação da chamada lei da homofobia, por entender que ensinar e pregar contra a prática do homossexualidade não é homofobia, por entender que uma lei dessa natureza maximiza direitos a um determinado grupo de cidadãos, ao mesmo tempo em que minimiza, atrofia e falece direitos e princípios já determinados principalmente pela Carta Magna e pela Declaração Universal de Direitos Humanos; e por entender que tal lei interfere diretamente na liberdade e na missão das igrejas de todas orientações de falarem, pregarem e ensinarem sobre a conduta e o comportamento ético de todos, inclusive dos homossexuais.
Portanto, a Igreja Presbiteriana do Brasil não pode abrir mão do seu legítimo direito de expressar-se, em público e em privado, sobre todo e qualquer comportamento humano, no cumprimento de sua missão de anunciar o Evangelho, conclamando a todos ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo.
Patrocínio, Minas Gerais, abril de 2007 AD.
Rev. Roberto Brasileiro
Presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil

domingo, 22 de maio de 2011

A carta...



Ruth, olhou em sua caixa de correio, mas só havia uma carta. Pegou-a e olhou-a antes de abri-la. Mas logo parou, para observar com mais atenção. Não havia selo nem marcas do correio, somente seu nome e endereço.
Ela decidiu ler a carta: "Querida Ruth. Estarei próximo de sua casa, no sábado à tarde, e passarei para visitá-la. Com amor, Jesus."
As mãos da mulher tremiam quando colocou a carta sobre a mesa. "Porque o Senhor vai querer visitar-me? Não sou ninguém especial, não tenho nada para oferecer-lhe..." pensou. Preocupada, Ruth recordou o vazio reinante nas estantes de sua cozinha. "Ai, não!, não tenho nada para oferecer-lhe. Terei que ir ao mercado e comprar alguma coisa para o jantar."
Ruth abriu a carteira e colocou o conteúdo sobre a mesa: R$ 5,40.
"Bom, comprarei pão e alguma outra coisa, pelo menos."
Ruth colocou um abrigo e se apressou em sair. Um pão francês, um pouco de peru e uma caixa de leite... Ruth ficou somente com R$ 0,12 que deveriam durar até a segunda-feira. Mesmo assim, sentiu-se bem e saiu a caminho de casa, com sua humilde compra debaixo de um dos braços.
-Olá, senhora, pode nos ajudar?
Ruth estava tão distraída pensando no jantar, que não viu as duas pessoas que estavam de pé no corredor.
Um homem e uma mulher, os dois vestidos com pouco mais que farrapos.
- Olhe, senhora, não tenho emprego. Minha mulher e eu temos vivido ali fora na rua. Bom, está fazendo frio e estamos sentindo fome. Se a senhora pudesse nos ajudar, ficaríamos muito agradecidos...
Ruth olhou para eles com mais cuidado. Estavam sujos e tinham mal cheiro e, francamente, ela estava segura de que eles poderiam conseguir algum emprego se realmente quisessem.
Senhor, eu queria ajudar, mas eu mesma sou uma mulher pobre. Tudo que tenho são umas fatias de pão, mas receberei um hóspede importante para esta noite e planejava servir isso a Ele.
Sim, bom, sim senhora, entendo.... De qualquer maneira, obrigado - respondeu o homem.
O pobre homem colocou o braço em volta dos ombros da mulher, e os dois se dirigiram para a saída.
Ao vê-los saindo, Ruth sentiu um forte pulsar em seu coração.
-Senhor, espere!
O casal parou e voltou à medida que Ruth corria para eles e os alcançava na rua.
Olhem, querem aceitar este lanche? Conseguirei algo para servir ao meu convidado - dizia Ruth, enquanto estendia a mão, com o pacote do lanche.
Obrigado, senhora, muito obrigado. Obrigada, disse a mulher...
Foi aí que Ruth pôde perceber que a mulher tremia de frio.
Sabe, tenho outro casaco em minha casa, tome este ofereceu Ruth. Ela desabotoou o próprio casaco e o colocou sobre os ombros da mulher.
Sorrindo, voltou a caminho de casa... sem casaco e sem nada para servir a seu convidado. Obrigado, senhora, muito obrigado - despediu-se, agradecido, o casal.
Ruth estava tremendo de frio quando chegou à porta de casa. Agora não tinha nada para oferecer ao Senhor. Procurou a chave rapidamente na bolsa, enquanto notava outra carta na caixa de correio.
"Que raro, o carteiro nunca vem duas vezes em um dia" - pensou.
Ela então apanhou a carta e abriu-a: "Querida Ruth. Foi bom vê-la novamente. Obrigado pelo delicioso lanche e pelo esplêndido casaco. Com amor, Jesus."
O ar estava frio, porém, ainda sem se agasalhar, Ruth nem percebeu.

"Nem sempre Deus chega nos momentos em que a gente quer, mas ELE nunca chega atrasado!"

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A Palavra de Deus!



A palavra de Deus se atualiza em nossas vidas, assim como aconteceu com os homens e as mulheres da Bíblia fatos milagrosos, pelo poder de Deus os prodígios vão se repetindo nos nossos tempos pois ELE É O MESMO ONTEM, HOJE E SEMPRE.

Se as situações estão mais difíceis e complicam a cada dia, se a medicina te deu apenas uma possibilidade de cura ou nenhuma possibilidade,
se os problemas afetivos ou finaceiros aumentam e não há luz no fim do túnel, os problemas, coisas que te oprimem e parece que para você ou para aquele
que você ama não há jeito, já é caso perdido,
A HORA DE DEUS CHEGOU!
O Senhor abre as comportas do céu para derramar todas as possibilidades porque Ele é o Deus do IMPOSSÍVEL!
e Ele tem um jeito próprio para agir,
um jeito carinhoso e amoroso, às vezes demora um pouquinho mas se sabemos viver bem esse tempo,
esperando n´Ele, a alegria da recompensa enche a alma e nos faz mais fortes.
Para fazer a experiência é preciso acreditar, somente isso, ter fé.
Esse é o caminho…

Pare e pense!


Não é tarefa fácil compreender onde deve estar o limite do nosso ministério.
Ao nosso redor há tantas necessidades urgentes que, muitas vezes, temos perguntado:
O que posso fazer para Ti, ó Senhor?
Na verdade, a pergunta deveria ser:
O que Tu, Senhor, queres fazer através de mim?
Reconhecemos, assim, que somos apenas instrumentos nas mãos do Senhor.
O que significa ser um instrumento nas mãos de Deus? Quando você pega um
martelo não explica a ele o que pretende fazer, por que bater, como bater, em que
superfície; apenas o pega e usa conforme o seu querer.
O Senhor Jesus, quer fazer a mesma coisa e um pouco mais.
Além de querer nos usar conforme o seu querer, Ele nos explica o porquê da obra.
Veja em Isaías 54.2.3:
“Alarga o espaço de tua tenda, estenda-se o toldo da tua habitação, não o impeças; alonga as tuas cordas,
e firma bem as tuas estacas.
Porque transbordarás para a direita e para esquerda
a tua posteridade possuirás as nações... ”

Jesus é a Salvação!


Amigo!
Saiba que vc é alguém mto especial p o nosso Deus.
Ele ama vc de uma forma única, independente do seu status social,de sua cor de sua situação atual.
Na verdade, Ele amou vc de uma forma tão especial e maravilhosa q deu o Seu único Filho, Jesus Cristo p morrer em seu lugar na Cruz do Calvário.
Este Jesus Maravilhoso, Conselheiro, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz morreu pelos pecados do mundo, mas ao terceiro dia Ele ressucitou triunfante e hoje está assentado à direita de Deus Pai Todo Poderoso intercedendo por mim e por vc.
Ele nada exige de vc, pois diz: “vinde como estais...”
Ele n exige o seu dinheiro, pois n podemos comprar as bênçãos do Senhor, Ele só deseja o seu coração e obediência a Sua Palavra.
Saiba q sua vida pode ser transformada de uma forma extraordinária.
Experimente o poder renovador de Jesus Cristo em sua vida, experimente ter uma comunhão com este Deus Soberano, criador dos Céus e da Terra.
Receba hoje mesmo Jesus Cristo como o seu Salvador pessoal e experimente algo novo em sua vida.
"Haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se arrepende, do q por noventa e nove justos q n precisam se arrepender" Lc 15,7 “
Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu n há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos.” At. 4:12,

JESUS! É SALVAÇÃO PARA O HOMEM.

O UNICO CAMINHO PARA ALCANÇAR A VIDA ETERNA.!


Pense nisso!

Certa lenda conta...


"Certa lenda conta que estavam duas crianças patinando em cima de um lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam sem preocupação.

De repente, o gelo se quebrou e uma das crianças caiu na água.
A outra criança vendo que seu amiguinho se afogava debaixo do gelo, pegou uma pedra e começou a golpear com todas as suas forças, conseguindo quebrá-lo e salvar seu amigo.

Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como você fez isso? É impossível que você tenha quebrado o gelo com essa pedra e suas mãos tão pequenas!

Nesse instante apareceu um ancião e disse:
- Eu sei como ele conseguiu.

Todos perguntaram:
- Como?

O ancião respondeu:
- Não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que não poderia fazer!"

"SE PODES IMAGINAR, PODES CONSEGUIR"

OS QUE ESPERAM


NO SENHOR RENOVAM SUAS
FORÇAS, SOBEM COM ASAS COMO ÁGUIAS, CORREM
E NÃO SE CANSAM, CAMINHAM E NÃO SE FATIGAM.
Isaías (40.31)
A águia enfrenta a furía das tempestades e dos ventos retira
a força necessária para alçar vôo aos picos mais elevados.
É corajosa e destemida não se intimida diante de
uma tempestade.
DEUS nos chamou para sermos águia.
Para vivermos nas alturas, sem nos cansar, sem nos fatigar.
DEUS quer que sejamos águia. JESUS quer que voemos
na tempestade. Que enfrentemos o vento e quando
vier a luta subamos mais alto ainda.
Subamos espiritualmente.
Para nós uma "tempestade"não pode ser uma
ameaça tem de ser sim um desafio.
JESUS quer abrir-nos os olhos e transformar-nos
em águias, para alçarmos vôo com ELE.